10 situações a evitar em Power BI

10 situações a evitar em Power BI

O Power BI está levando cada vez mais o poder dos dados aos usuários corporativos, mas você pode precisar de mais proteções para obter o máximo valor deles. E apresentamos o mais comuns que as organizações erram.

Como uma ferramenta líder de inteligência de negócios, o Power BI oferece aos usuários de negócios poder e flexibilidade para lidar com dados. A suíte da Microsoft oferece tudo, desde integração do Excel a relatórios corporativos e um número crescente de recursos de IA – Inteligência Artificial –  que simplificam a obtenção de insights mais acurados. Na verdade, o último relatório da Forrester Wave sobre o BI aumentado vai mais longe a ponto de dizer “é difícil não considerar o Power BI como sua principal escolha para uma plataforma de BI empresarial”.

Mas com tanta potência e tantos recursos, você precisa entender como trabalhar com o Power BI para obter o máximo dele. Esses são alguns erros comuns que as empresas cometem com o Power BI e como evitá-los.

Enlouquecendo com o Power BI

Muito parecido com o Excel, o poder do Power BI dá a ele popularidade. Provavelmente, já existe mais uso em sua organização do que você imagina. Deixar que as pessoas descubram como obter o melhor do Power BI por conta própria significa que elas podem não aproveitá-lo ao máximo. Pior ainda, você pode acabar com tantos dados carregados (e duplicados por pessoas diferentes) e tantos artefatos de dados criados que ninguém sabe quem está fazendo o quê e onde estão os relatórios úteis.

Em vez disso, organize e endosse conjuntos de dados confiáveis ​​para tornar mais fácil para as pessoas encontrarem dados de qualidade. Forneça treinamento e considere construir um centro de excelência que inclua arquitetos de BI, especialistas em dados e pessoas que podem ajudar os usuários de negócios a serem eficazes com o Power BI. Você pode até querer restringi-los de publicar dados até que tenham algum treinamento para ajudar a obter o valor sem caos.  

Esquecendo a segurança dos dados

Os dados mais valiosos em sua organização podem ser confidenciais e seu uso provavelmente precisa ser auditado. Ative a integração com o Microsoft Information Protection para que você possa gerenciar e rastrear o uso de dados e controlar como eles são usados, até mesmo se forem exportados do Power BI para o Excel.

Sendo muito restritivo

A verdadeira chave para a adoção bem-sucedida do Power BI é obter o equilíbrio certo entre capacitar os usuários e uma governança eficaz. Uma maneira segura de falhar é restringir o uso a apenas alguns analistas de negócios ou cientistas de dados que examinarão os dados e emitirão orientações oficiais. Você provavelmente não pode contratar um número suficiente desses especialistas, e muito mais pessoas em sua organização provavelmente têm conhecimento em dados para encontrar insights valiosos com o Power BI que lhes permitem reagir ao ambiente em mudança com base em dados, em vez de palpites.

Não tente controlar o uso do Power BI com tanta força a ponto de atrapalhar, mas ajude-os a obter a melhor experiência com treinamento e bons exemplos.

Ignorando desempenho

Quando você pensa sobre o valor da inteligência de negócios, é fácil focar na inteligência – os insights que você pode obter de dados de qualidade com as perguntas certas – e no negócio – o fato de que os executivos usarão as ferramentas e agirão de acordo com os insights. Mas você também precisa ter certeza de que o básico está correto: a menos que os relatórios carreguem rapidamente e os visuais interativos sejam rápidos, as pessoas simplesmente não os usarão.

De acordo com a Microsoft, as adoções bem-sucedidas do Power BI se correlacionam fortemente com o bom desempenho do relatório – e não prestar atenção ao desempenho é o principal motivo do fracasso dos projetos de business intelligence.

Use as ferramentas Query Diagnostics e Performance Analyzer no Power BI Desktop para entender e melhorar como as consultas e relatórios são executados (o SQL Server Profiler também pode ser útil para descobrir quais consultas causam gargalos). Você pode usar o Azure Log Analytics com Power BI Premium para explorar sua telemetria. Comece com o relatório de métricas de uso integrado para ver quais relatórios são populares e certifique-se de que estão bem otimizados. Para grandes organizações, a Microsoft irá avisá-lo (em um relatório anônimo) se o Power BI estiver obtendo baixos índices de satisfação dos usuários, sugerindo quais relatórios estão causando problemas e, para os maiores clientes, fornecerá consultoria gratuita para ajudá-lo a otimizar esses relatórios.

Confiar demais em recursos visuais

Uma imagem vale mais que mil palavras, como diz o clichê, e o que o Power BI faz bem é mostrar a você uma imagem que revela o que está acontecendo em seus dados. Mas nem toda imagem é uma imagem útil; muitos gráficos e visualizações podem produzir confusão visual onde você não percebe as medidas mais importantes. Eles também geram muitas consultas que podem diminuir o desempenho do relatório. Encontre os recursos visuais certos para cada relatório que enfoque o que é realmente importante ou use os recursos visuais de IA, como os principais influenciadores, que tentam identificar automaticamente os dados mais significativos.

Não aproveitando ao máximo o celular

Nem todo mundo que achará o Power BI útil se sentará em uma mesa e evitará relatórios superlotados, é particularmente importante quando os insights ajudam os funcionários da linha de frente. O aplicativo Power BI Mobile é útil aqui, assim como a incorporação de relatórios em Power Apps ou a configuração de placas ¹OKR e ²scorecards com notificações para metas específicas que os funcionários verão onde quer que estejam.

No futuro, o aplicativo móvel usará âncoras espaciais para trazer dados e relatórios para o espaço físico onde os dados são realmente gerados, com uma visão AR que fixa os relatórios aos objetos físicos. Isso poderia envolver ver o estado de uso de equipamentos de ginástica em uma academia, números de vendas dos produtos em uma prateleira de supermercado, rendimento e outras estatísticas de máquinas em um chão de fábrica ou carros em uma concessionária: qualquer coisa em que ter os dados corretos imediatamente visíveis pode ajudar você tomar a melhor decisão.

Negligenciando DAX – ou seu desempenho

Expressões de análise de dados (DAX) são funções poderosas que permitem usar filtros complexos, lógica condicional e agregações para análises mais avançadas. Funções DAX mal escritas também podem tornar relatórios mais lentos e consumir recursos. Use o Power BI Performance Analyzer para encontrar medidas DAX que precisam de melhorias e certifique-se de ter recursos e treinamento para ajudar os usuários a entender e usar DAX bem.

Assumindo que seu sistema back-end pode lidar com DirectQuery

Não ter que replicar dados no Power BI para trabalhar com ele pode ser muito conveniente, mas você precisa verificar se seu sistema back-end pode lidar com a carga. A Microsoft sugere que a resposta precisa ser inferior a 5 segundos para uma consulta agregada típica, mas lembre-se de multiplicar pelo número de imagens nos relatórios. Se houver 10 ou 20 visuais, o carregamento desse relatório gerará 10 ou 20 consultas, o que significa que os usuários ficarão esperando um ou dois minutos para o relatório carregar.

Não usar atualizações e agregações incrementais

Carregar dados no Power BI para aproveitar as vantagens do mecanismo de consulta de alto desempenho é muito simples, com pacotes de conexão de uma ampla variedade de fontes de dados e um gateway para dados locais. É tão fácil que os usuários frequentemente recarregam todos os dados todos os dias para se certificar de que estão atualizados – mas não há necessidade de recarregar os dados antigos que não foram alterados.

Você pode acelerar as atualizações usando atualizações incrementais que carregam apenas os dados que foram alterados; isso também reduzirá a carga no sistema back-end. Para DirectQuery, habilite agregações que pré-carregam e agregam dados automaticamente em um cache para acelerar os relatórios e reduzir a carga no sistema externo que você está consultando.

Não construir uma cultura de dados

As mais bem-sucedidas adoções de Power BI trazem ferramentas de dados para uma ampla gama de funcionários, não apenas pessoas cujo trabalho é lidar com dados. Mas isso significa tornar uma segunda natureza para os usuários de negócios confiar nos dados como uma forma de tomar decisões.

Para que isso aconteça, você deve desenvolver uma cultura de dados onde, CTO da Microsoft Analytics Amir Netz sugere, “toda conversa começa com o que os dados dizem, cada sugestão inclui o que os dados suportam. Mude o que você pensa e quem você sabe para o que você sabe e o que os fatos estão dizendo e isso fará uma enorme diferença. Uma cultura de dados deixa de operar com base em palpites e quem fala mais alto ou quem tem mais poder para ser uma organização objetiva que está constantemente olhando e medindo a si mesma e otimizando sempre para obter melhores resultados ”.

Legenda:

¹OKR = A sigla OKR (Objectives and Key Results, em inglês) significa Objetivos e Resultados-Chave. É uma estrutura bastante popular na gestão de desempenho e de metas, ajudando as empresas a implementarem e executarem suas estratégias.

²Scorecards = Sigla que traduzida, significa Indicadores Balanceados de Desempenho. Este é o nome de uma metodologia voltada à gestão estratégica das empresas. 

Link: https://www.cio.com/article/3632915/10-power-bi-mistakes-to-avoid.html?utm_source=Adestra&utm_medium=email&utm_content=Description%3A%2010%20Power%20BI%20mistakes%20to%20avoid&utm_campaign=CIO%20US%20First%20Look&utm_term=CIO%20US%20Editorial%20Newsletters&utm_date=20210921164250&huid=88a86ab9-9d29-4e37-b689-2fccad82d0fa

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© SicoloS Tecnologia 2020 – Todos os direitos reservados.
Feito com ❤ por