COVID-19 e a transformação digital

COVID-19 e a transformação digital

Por anos, a Transformação Digital foi apontada como um objetivo a ser alcançado pelas empresas, dada a importância da tecnologia como uma nova aliada estratégica. No entanto, muitas corporações caminhavam a passos vagarosos para acompanhar essa demanda e digitalizar seus processos, às vezes por falta de recursos, inércia, ou receio de realizar uma mudança tão radical nos pilares internos.

A pandemia de Covid-19 tem exigido um alto nível de adaptabilidade por parte das companhias, expondo a fragilidade dos que optam, até então, por não aderir à tecnologia e sua aplicação prática. Se existem aprendizados originados pelo ano que passou certamente repousa na preponderância de se compreender a transformação digital como um fenômeno inadiável. É necessário compreendê-la e adequá-la à sua realidade empresarial. Os beneficiados, acima de tudo, serão as próprias pessoas.

A transformação digital para o crescimento dos negócios

A automatização dos processos de negócios teve impacto de várias maneiras. Por exemplo, a introdução do RPA provou automatizar tarefas repetitivas e mundanas em um ritmo mais rápido com a máxima precisão, o que alivia a carga de trabalho dos funcionários e permite que eles se concentrem em tarefas racionais de alta prioridade. A automação foi levada ao seu nível de iniciante, quando pode fazer mais. A pandemia com certeza acelerou a adoção de IA em todos os setores, mas limitou seus casos de uso apenas para automatizar tarefas de mesa.

Um relatório de pesquisa revelou que em 2021, muitas empresas em modo de crescimento buscarão a IA para ajudar na interrupção do local de trabalho para trabalhadores baseados em localização, físicos ou humanos e trabalhadores do conhecimento que trabalham em casa. E isso incluirá a aplicação de IA para extração inteligente de documentos, aumento do agente de atendimento ao cliente, rastreamento de saúde de retorno ao trabalho ou robôs semiautônomos para separação social.

O uso de tecnologias avançadas de automação pode proporcionar crescimento e eficiência aos negócios. Portanto, as empresas devem se concentrar em resolver as questões éticas que giram em torno da IA ​​e adotá-la para promover a inteligência de negócios.

Aprimoramento dos funcionários para a adaptação correta à transformação digital

A transformação digital só pode ocorrer com o apoio de uma força de trabalho qualificada. A demanda repentina de digitalização durante a pandemia não deu tempo suficiente para que as indústrias aumentassem as habilidades de seus funcionários. Muitos deles perderam empregos devido à falta de qualificação necessária para a digitalização crescente. A crescente lacuna de habilidades precisa ser preenchida por meio da qualificação constante dos funcionários e do investimento em estratégias de treinamento.

As empresas que buscam a transformação digital devem investir tempo no envolvimento e na participação dos funcionários, interagindo e recebendo feedback deles.

Foco na cibersegurança  

A pandemia acelerou a digitalização e a automação, mas também lançou os holofotes sobre a segurança cibernética e sua importância. No ano passado, a maioria dos consumidores, assim como as organizações, mudaram para plataformas online por razões de sobrevivência. Isolamento e bloqueios derrubaram lojas físicas e encorajaram serviços online, e também testemunhamos um aumento nos ataques cibernéticos e violações de dados. O pequeno intervalo de tempo em que tudo isso aconteceu nos faz perceber que a digitalização tem seus riscos e mitigar esses riscos é o que as empresas devem visar ao mesmo tempo que reimaginam a transformação digital nos próximos anos.

A mudança para ecossistemas de trabalho remotos aumentou a vulnerabilidade de dados nas interfaces da web e, portanto, precisa de melhores medidas de segurança. Medidas de segurança adicionais devem ser incorporadas usando IA, verificação de identidade digital, autenticação de dois fatores, etc., para garantir a segurança cibernética.

Por fim, trazer a tecnologia para processos internos e externos, no cenário atual, é questão de sobrevivência: com todo mundo em casa, a única forma de manter o relacionamento com os clientes, efetuar vendas e se relacionar com os colegas de trabalho é de forma online. 

Para se ter uma ideia, até antes da pandemia a venda online representava cerca de 4% do faturamento do varejo, mas com a mudança de comportamento do consumidor, impulsionada pelas medidas de isolamento social, a expectativa é que haja um crescimento dos negócios feitos pelos canais digitais e estes representem 15% de todas as vendas. Para as empresas que não atuavam no ambiente online, essa é a hora de começar suas operações digitais.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© SicoloS Tecnologia 2020 – Todos os direitos reservados.
Feito com ❤ por